domingo, 10 de março de 2013

Manifestação do 8 de março em São Paulo pede fim da violência contra as mulheres

O Dia Internacional das Mulheres, em São Paulo, foi  organizado por entidades feministas, movimentos sociais e de moradia que juntos fizeram ato na Praça da Sé e caminhada no Centro da capital paulista,  pelo fim de todas as  formas de violência contra a mulher. O Brasil está em 7º lugar no mundo, no índice de assassinato de mulheres e a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo registrou 951 estupros no ano 2012. É urgente maior empenho dos governos municipais, estaduais, federal e também do judiciário no cumprimento da Lei Maria da Penha, além de mais investimentos em programas de combate e prevenção à violência.



Maria da Penha Maia Fernandes, é uma biofarmacêutica brasileira que lutou muito para que seu agressor viesse a ser condenado. Em 1983, seu marido, o professor colombiano Marco Antonio Heredia Viveros, tentou matá-la duas vezes.  Por conta das agressões sofridas, Penha ficou paraplégica. Seu agressor foi condenado a oito anos de prisão. Por meio de recursos jurídicos, ficou preso por dois anos. Solto em 2002, hoje está livre.
Com 67 anos e três filhas, hoje ela é líder de movimentos de defesa dos direitos das mulheres, vítima emblemática da violência doméstica.  Em 7 de agosto de 2006, foi sancionada pelo então presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva a Lei Maria da Penha, que prevê aumento no rigor das punições às agressões contra a mulher.



Nenhum comentário:

Postar um comentário