quinta-feira, 23 de maio de 2013

A FESTA DE LANÇAMENTO LOTOU A CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO

As famílias beneficiárias do Programa Urbano Lotaram a Sala Tiradentes  e  o Plenarinho  da Câmara Municipal de São Paulo, e ainda ficou muita gente na porta,  que não conseguiu entrar para assistir ao lançamento do Projeto   “Promovendo uma cidade inclusiva e sustentável: redução da vulnerabilidade social, ambiental e climática das comunidades de baixa renda em São Paulo ,que aconteceu nesta quinta-feira, dia 23 de maio.
O evento contou com a presença da Sra. Denise Verdade, representando a Delegação da União Europeia no Brasil, com sede em Brasília, e de Cecílai Iório e Emily Muville, representantes da CAFOD. Entre as  autoridades  do município, o Secretário Adjunto da Habitação, Marcos Biasi, Marcella  Migliacci da Secretaria do Meio Ambiente, Osmar Borges da Superintendência de habitação, o Vereador Paulo Fiorilo e o Deputado Estadual Enio Tato. Representando as entidades, Luiz Korara do Instituto Polis e Gaspar Garcia , Raymundo Bonfim da Central de Movimentos Populares, Manoel Del Rio da Apoio e Sueli de Fátima do MDF.
Todos os componentes da mesa falaram sobre  a importância do financiamento da União Europeia, e também do apoio de CAFOD, a Agência Católica para o Desenvolvimento Internacional, sediada no Reino Unido, para a implantação do projeto  implementado em parceria pelo MDF (Movimento de Defesa do Favelado - Região Episcopal Belém) e a APOIO (Associação de Auxílio Mútuo). O também  evento teve música, e a entrada da maquete de uma casa, simbolizando a luta das famílias pobres, por moradia na cidade de São Paulo.

O projeto tem como objetivo específico, assegurar o acesso de famílias de baixa renda, especialmente aquelas chefiadas por mulheres, a políticas públicas de moradia e serviços básicos em favelas, áreas de moradia irregular e cortiços em São Paulo, diminuindo sua vulnerabilidade frente às dimensões econômicas, ambientais e às mudanças climáticas.

O Censo 2010 do IBGE apontou que existem 500,6 mil famílias com renda per capita de até R$ 140 na cidade de São Paulo. Nas últimas décadas os bolsões de pobreza e miséria aumentaram tanto na periferia como em áreas do centro da cidade. A vida nas favelas, em áreas de moradias irregulares, em margens de córregos, cortiços ou nas ruas, embaixo de pontes, traz consigo elevados graus de vulnerabilidade econômica, social e ambiental. Condições insalubres, riscos de enchentes, inundações e deslizamentos e outras mudanças climáticas afetam desproporcionalmente a esta população. Os segmentos mais pobres, particularmente as mulheres, ficaram fora do alcance das políticas públicas existentes (moradia e serviços sociais), que não conseguem articular uma visão integrada das dimensões social e ambiental. Na dinâmica de valorização e especulação da terra urbana que ocorre em São Paulo, esta população foi se deslocando fora do centro urbano para áreas mais distantes da oferta de empregos, ou das oportunidades de gerar renda, e dos serviços básicos (saúde, educação, segurança publica, saneamento), muitas vezes em áreas de risco ou inadequadas, tornando este grupo ainda mais vulnerável e pobre. É esta camada social que o projeto visa alcançar.


 Maiores informações, por favor entrar em contato com a Coordenação Executiva:
·        Sueli de Fátima Almeida Machado – MDF - Coordenadora do Projeto- Telefone : 9 98188105

·        Heluíza Regina –  APOIO - Coordenadora de Projeto - Telefone : 9 53422913

Nenhum comentário:

Postar um comentário