terça-feira, 27 de agosto de 2013

Em cada família uma história de luta e resgate da cidadania

Nesta segunda-feira,  a equipe de CAFOD, a Agência Católica Internacional, visitou as Ocupações Prestes Maia e Mauá. No final do dia o grupo se reuniu  com  o secretário adjunto de Habitação, Marco Antonio Biasi, que também e Superintendente de Habitação de Interesse Social. No início da noite foi a vez de conhecer o apartamento da Simone,  ex-moradora da ocupação Prestes Maia,  beneficiada com Carta de Crédito. A  peregrinação do dia encerrou com uma assembleia extraordinária da Frente de Luta por Mordia, que discutiu os últimos detalhes sobre a Marcha ao Palácio dos Bandeirantes, por Reforma Urbana, desta quarta-feira 28.

Manoel  Del Rio, Presidente da Apoio está apresentando os projetos da Apoio que são coordenados pelas educadoras do Programa Urbana,  ao   Bispo John Arnold, presidente do conselho de curadores da CAFOD,  Geoff O’Donoghue,  John Darley, Cecília Iório, Emylle Muville,  e Sophie Bradley. Os representantes de CAFOD  estão acompanhados  pelo fotógrafo She e  Michelle Porter  Matth - equipe da  TV Daybreak,  da Inglaterra. 
Nas ocupações, os parceiros continuaram ouvindo as histórias de mulheres brilhantes que não se deixam abater por doença, abandono dos companheiros, infância morando nas ruas, violência doméstica  ou qualquer adversidade. Trabalham, cuidam dos filhos e continuam lutando pelo direito à moradia.  Com Biase na Secretaria da Habitação conversaram sobre os desafios dos projetos  de moradia propostos pela  administração Haddad. Segundo Marco Antonio Biase 17 mil já estão em andamento neste primeiro ano do mandato.  A promessa é que no final dos quatro anos entreguem um total de  55 mil moradias de interesse social.

Na visita ao apartamento de Simone  alegria e esperança, nos relatos de uma jovem, viúva duas vezes, dois filhos. Depois da primeira ocupação na Prestes Maia em 2007, Simone foi beneficiada ,junto com outras famílias,  com carta de crédito. Desde então  mora com sua família,  em  apartamento próprio , na região central. Ela e as crianças nos receberam com um delicioso bolo de chocolate.  Hoje Simone, que foi criança de rua, trabalha no Serviço de  Atenção Urbana, que faz o atendimento  da população em situação de rua na cidade de São Paulo, e  se declara  feliz por poder fazer às pessoas aquilo que um dia fizeram por ela.
Os Representantes de CAFOD  estão  visitando os projetos desenvolvidos pela Apoio – Associação de Auxílio Mútuo e MDF – Movimento de defesa dos Favelados,  entidades parceiras do Programa Urbano no projeto: “Promovendo uma cidade inclusiva e sustentável: redução da vulnerabilidade social, ambiental e climática das comunidades de baixa renda em São Paulo.


domingo, 25 de agosto de 2013

Bispo John Arnold e equipe de CAFOD visitam projetos em São Paulo

Representantes de CAFOD, a Agência Católica Internacional,  estão  visitando os projetos desenvolvidos pela Apoio – Associção de Auxílio Mútuo e MDf – Movimento de defesa dos Favelados,  entidades parceiras do Programa Urbano no projeto: “Promovendo uma cidade inclusiva e sustentável: redução da vulnerabilidade social, ambiental e climática das comunidades de baixa renda em São Paulo. 
Neste sábado, 24, Manoel Del Rio, Presidente da Apoio recebeu,  o Bispo John Arnold, presidente do conselho de curadores da CAFOD,  Geoff O’Donoghue,  John Darley, Cecília Iório, Emylle Muville,  e Sophie Bradley. A visita começou pelo Albergue Boraceia, na Barra Funda, depois estiveram com famílias sem-teto,  que ocupam prédios abandonados do Centro da Capital Paulista.
Os representantes de CAFOD  estão acompanhados  pelo fotógrafo She e  Michelle Porter  Matth - equipe da  TV Daybreak,  da Inglaterra.
No Boraceia conheceram  o trabalho para resgatar a dignidade humana e reinserir as pessoas em situação de rua na sociedade. Na Ocupação São João (  antigo Hotel Columbia Palace, Av. São João 588)  visitaram , Morgana Barbosa mãe de quatro filhos  e Maria Ideam Ferreira , chefe de família com dois filhos adolescentes.  No  antigo Hotel Cambridge, foram recebidos com um carinhoso “banquete” de frutas.  Estiveram  com Deuzuita de Carvalho Oliveira ( ex- moradora de rua) e  Maria das Neves Lindozo.  Já era noite quando a equipe chegou à Ocupação do Lord Hotel e foi recebida com palmas, cantos e orações, pelas famílias.
Os encontros da equipe com as famílias-sem-teto,  foram  muito importantes.  A história individual de cada uma delas acaba sendo diluída na massificação de uma cidade, com as dimensões de São Paulo. A visita a cada moradia permite ouvir sobre as dificuldades de se pagar aluguel e dar comida e educação aos filhos.

Todas as pessoas  entrevistadas, inclusive as crianças e adolescentes, falaram de como suas vidas mudaram para melhor com o trabalho das educadora do Programa Urbano, nas ocupações que auxiliou no, resgate da auto-estima.  A  dinâmica é diferente de um prédio comum,  as famílias estão organizadas em comunidades que decidem em conjunto . Existe  ordem,  limpeza, incentivo à educação, produção cultural. E que continuam na luta pelo direito a uma moradia digna com prestações que possam pagar. 

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

MDF discute demanda das favelas com representantes da Prefeitura



As demandas das favelas articuladas com o MDF– Movimento de Defesa dos Favelados, foram apresentadas  no dia 7 de agosto, em uma reunião de trabalho entre lideranças das favelas e representantes do MDF,  com o Senhor José Pivatto - Secretário Adjunto das Relações Governamentais do Município de São Paulo e representantes da Regularização Fundiária, da Secretaria de Habitação (regiões leste, sudeste).

O encontro trabalhou em cima  do documento   entregue para a prefeitura, que foi elaborado pelo MDF,  discutido e aprovado em assembleia,  a partir das demandas das favelas.
Consta do documento: o programa de regularização fundiária, urbanização de favelas, programa córrego limpo, operação urbana Moóca-Vila Carioca, lançado na gestão anterior, o qual segundo informações dos técnicos da secretaria de habitação, teve o nome alterado para Bairros do Tamanduateí).


Além dos esclarecimentos e intervenções das lideranças das favelas, com os técnicos, representantes da prefeitura, um dos encaminhamentos propostos, foi a indicação de terreno próximo à favela  Vila Prudente, para desapropriação, com o objetivo de atender às famílias pobres da região.