sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

PROGRAMA URBANO ENCERROU SUA SEGUNDA ETAPA

Ontem, 10 de dezembro, de 2015, dia Internacional dos Direitos Humanos, nossa equipe do Programa Urbano se reuniu com, amigos, parceiros e autoridades para celebrar três anos de muito trabalho pela Cidade de São Paulo, especialmente a  população mais pobre, que é a que mais sofre. Foi um momento de muita alegria com boa dose de satisfação por analisarmos que o projeto  “Promovendo uma cidade inclusiva e sustentável: redução da vulnerabilidade social, ambiental e climática das comunidades de baixa renda em São Paulo”, deixa boa contribuição para nosso município.

Para nós não foi apenas uma cerimônia de encerramento, foi sim uma grande celebração de do trabalho realizados nesta segunda fase do Programa Urbano, que começou em janeiro de 2013.  Temos que destacar que sem o financiamento da União Europeia e a parceria com a CAFOD – Agência Católica da Inglaterra e país de Gales para a Cooperação Internacional, esse belo trabalho que envolveu  membros da  APOIO - Associação de Auxílio Mútuo e do MDF- Movimento de defesa dos Favelados  não teria tido o mesmo resultado.

O evento de ontem contou com  a presença do Secretário Municipal da Habitação, João Sette Whitaker Ferreira; do Diretor Presidente da COHAB, João Abukater Neto;  Sra. Denise Verdade, representando a Delegação da União Europeia no Brasil,  Clare Dixon,  Cecília Iório e Emily Muville, representantes da CAFOD;  Benedito Barbosa da Central de Movimentos Populares, que compuseram a mesa e  de representantes das famílias beneficiárias e das entidades da sociedade civil.

Já na abertura  as crianças do Centro Cultura da Vila Prudente fizeram apresentação de dança e música. Na sequência os presentes puderam ouvir a avaliação da caminhada do projeto e seus resultados com as coordenadoras Heluiza Soares e Sueli de Fátima Almeida e também das  autoridades e representantes das entidades presentes. Houve ainda a apresentação de um vídeo da União Europeia sobre seu papel como parceiro co-financiador do projeto.   
O principal desafio do Programa Urbano tem sido casar a luta pela moradia, direito humano fundamental,  com a sustentabilidade. Para atingir este objetivo temos trabalhado com educação popular sobre a contribuição da poluição para as mudanças climáticas, a vulnerabilidade dos mais pobres diante das catástrofes provocadas pelo aquecimento global: fortes chuvas, com deslizamentos, enchentes e  períodos longos de seca com falta d’água.  Estas questões antes mais restritas aos ambientalistas e espaços escolares foram levadas para as comunidades pobres onde o Programa Urbano atua. Produzimos uma cartilha com informações em linguagem acessível que foram muito úteis nas oficinas.  Durante o período da grave crise de abastecimento pelo qual passou a cidade de São Paulo, em 2012, as oficinas de educação foram ampliadas e passamos a ensinar a construir cisternas para captação de água da chuva e também a produzir hortas urbanas.  Neste link  é possível visualizar o mapa de cisternas que foram implantadas.

Toda essa experiência foi compilada em duas ações, que deixamos como contribuição ao final desse processo: Um projeto Piloto de Cidade Sustentável e um Documento de incidência política.
O  Projeto Piloto de cidade, produzido com a ajuda do Arquiteto Rainer Grassmann e do Rafael Pacini,  está disponibilizado  no site www.saopaulosustentavel.com,  - que juntamente com a Cartilha “O Povo quer Moradia digna e sustentável”, disponível para download no site do PU, são instrumentos que foram  produzidos por nós,  com objetivo de empoderar os  cidadãos e as cidadãs  para a cobrança das autoridades,  do cumprimento das legislações ambientais,  e ao mesmo tempo  educar para as responsabilidades individuais, na preservação ambiental e nas adaptações, das residências e da vivência,  para a sustentabilidade. 

O Documento de Incidência Política foi entregue para o Secretário de Habitação do Município de São Paulo, na cerimônia de ontem, com propostas de moradia sustentável, que foram elaboradas com base na experiência de participação popular do Programa Urbano,  durante os três anos de duração do projeto.

Ao final os presentes assistiram a um vídeo, dirigido e editado pelo cineasta Manuel Moruzzi. Belíssima obra que consegue captar boa parte das experiências vividas pelos educadores no dia-a-dia de seus trabalhos na base, com as famílias em extrema vulnerabilidade sócio-ambiental e a alegria plena dos que já conquistaram suas moradias definitivas. 

E festa boa tem que ter comida. Encerramos degustando as delícias preparadas pela turma da Cooperativa de mulheres Pão e Arte.  Que venha a próxima fase! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário